Ere Muyá: Histórias da Cobra Grande

ere muya.png

Obra inspirada no memorial de pesquisa homônimo, realizado graças às histórias compartilhadas por amigos do povos sateré-mawê e maraguá. 
 

Sinopse:
Através de três camadas de história, acompanhamos uma artista que busca reviver o mito da cobra grande em diálogo com possíveis memórias, uma escritora em bloqueio criativo e dois personagens que precisam lidar com uma escolha.

Classificação: 12 anos.

 

Duração: 30 minutos.
 

Ficha Técnica
Roteiro: Renata Andrade

Script Doctor: Monica Lazar

Colaboração de Argumento: Fábio Correia
Performers: Fábio Correia e Renata Andrade
Supervisão de Direção: Arthur Campeão, Danilo Nardeli, Daiane de Oliveira Silva, Fábio Correia, Flavia Marina, Laís Salgueiro e Monica Lazar.
Direção: Renata Andrade.
Captação de Imagem e Som: Fábio Correia e Renata Andrade.
Coreografia: Laís Salgueiro.
Figurino: Daiane de Oliveira Silva.
Designer Gráfico: Arthur Campeão.
Produção: Escambo Arte e Bem Natural.

 

Histórico

Este trabalho surge de pesquisa teórica e prática iniciada em agosto de 2012 no curso Outro Teatro, ministrado no NEPAA/Unirio. Sua primeira performação foi apresentada de forma experimental, no próprio NEPAA e em três eventos em Buenos Aires, Argentina.

Em 2017 e 2018, o projeto voltou-se à pesquisa bibliográfica, antropológica e de prática artística com visitação aos povos Sateré-Mawê (Manaus/AM) e Maraguá (Nova Olinda do Norte/AM). Estreou, em 14 de dezembro de 2018, no Rio de Janeiro, nova proposta performativa junto à conclusão do curso de Pós-Graduação em Linguagens Artísticas, Cultura e Educação da IFRJ.

Em 2020, a pesquisa ganha nova versão que busca performar, através do mito, uma história que mistura fatos reais e possíveis desdobramentos, durante a pandemia causada pelo novo coronavírus.

Esse projeto foi contemplado com o Edital Cultura Presente nas Redes, através da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

tecido invertido fabio 1.jpg